The Boys: O ponto final das meninas [com SPOILERS]

Embora existam muitas outras séries que abordam questões atuais, The Boys abraçou o seu universo de super-heróis, criado por Garth Ennis e deu um passo a mais. Foi a decisão certa, e a série está mais forte por isso e também pelo fato de abordar os temas que já conhecemos e amamos em nosso macro universo baseado na mídia social e nos quadrinhos. The Boys está prestes a se tornar uma das melhores séries dos últimos anos. Enquanto a primeira temporada foi muito bem recebida e bastante lucrativa para a Amazon, foi a segunda temporada que realmente consolidou a série como algo especial.



O objetivo da segunda temporada, para Billy Bruto, é resgatar Becca, e ele realmente sai para fazer isso logo no início. Eles se reencontram e Bruto promete tirar Becca de sua prisão com Ryan. No entanto, Becca percebe que Bruto não está muito enclinado em levar Ryan com eles. Ele não vê a criança como parte da Becca; tudo o que ele vê é outro potencial Capitão Pátria. Diga-se de passagem, uma atitude bem corriqueira nos relacionamentos onde há filhos que não são em comum do casal. Então Becca o abandona, em um ato de preservação materna.



Na primeira temporada, Becca era o fantasma que assombrava Bruto a cada momento do seu . Ela era sua razão para continuar a buscar vingança contra o Capitão Pátria e todos os supers. No entanto, a cena final da primeira temporada inverteu o roteiro e, de repente, Becca não estava morta. Ela não era mais o fantasma que estava assombrando Bruto, mas agora uma pessoa muito viva vivendo sua própria vida. Não estava claro na época do final da primeira temporada se Becca estava voluntariamente vivendo sua vida ou sendo mantida contra sua vontade. Descobrimos na segunda temporada que a última opção é que valeu, mesmo que a primeira poderia ter tido implicações mais interessantes.



Quando Tempesta está ameaçando matar Becca, Ryan manifesta todos os seus poderes e causa danos severos, mas não a mata. Porém, essa explosão de energia também feriu mortalmente Becca, e ela sucumbe aos ferimentos. Becca é morta para levar adiante não apenas a história de Bruto, mas também a de Ryan, que terá que viver com a culpa de matar sua própria mãe pelo resto da vida.

The Boys pegou o conceito da dona de casa submissa, aquela que faz de tudo para manter a zona de conforto familiar, anulando-se completamente e criaram a personagem Becca. Na trama, ela fez suas próprias escolhas e enfrentou as consequências como um ser humano real. A série fez todo o trabalho de transformar a mulher submissa e frígida em um ser humano totalmente desenvolvido, apenas para ela morrer horrivelmente e tornar irreversível a dor de Bruto e, ainda mais, causar o choque em Ryan.



Mesmo assim, em The Boys, são as mulheres da série que fazem o show. Tempesta é uma grande vilã, mostrando como o feminismo performativo pode ser apenas um escudo para o fascismo e como você pode facilmente deixar de ser racista e falar sobre o genocídio dos brancos usando a internet. Annie tem um enredo fantástico nesta temporada, ela luta com a escolha de trabalhar contra Vought enquanto permanece um membro dos Sete.

A rainha Maeve mostra um ponto de vista sobre como as cooperações tentam ganhar dinheiro com os homossexuais, mas, a maneira como ela passou de um dos membros mais cínicos dos Sete para alguém disposta a chantagear o Capitão Pátria foi uma progressão natural que parecia orgânica.

Finalmente, esta temporada deu a Kimiko uma voz e um nome. Aprendemos sobre o que ela passou quando foi transformada em um super e vimos até onde ela estava disposta a ir para proteger as pessoas, quando descobriu o que seu irmão estava planejando fazer. Ela acaba tomada pela sede de vingança, mas consegue sair. A surra  na Tempesta, ao lado das outras mulheres é um dos destaques do último episódio e provavelmente de toda a temporada.



The Boys encontrou uma maneira de virar de cabeça para baixo um dos clichês mais comuns dos quadrinhos, com um desfecho onde os protagonistas masculinos praticamente assiste boquiabertos terminar com a temporada de forma esplendorosa. Claro, temos mortas e feridas. A nazista não está morta e também não tem mais membro. Um bom sinal de que ela não vai a lugar algum.


COMPRE Deadworld: Livro Um no Catarse



Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Tai Creative
  • YouTube Tai Creative
  • Twitter Tai Creative
  • Google+ Tai Creative
  • Instagram Tai Creative
  • LinkedIn Tai Creative
  • Pinterest Tai Creative
  • Tumblr Tai Creative
RECEBA NOVIDADES

51 3541.4251

51 9.9357.6776

TAI CREATIVE MARKETING E ENTRETENIMENTO LTDA

RUA GUILHERME LAHM, 1470, SALA 07

CENTRO, TAQUARA/RS

CEP: 95600-076

CNPJ 18.903.634/0001-10

ENTREGAS PODEM SOFRER ATRASOS EM VIRTUDE DO COVID-19

ENVIO PELOS CORREIOS.

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • Vimeo - Black Circle

Tai Creative MKT. Entretenimento LTDA. Todos os direitos reservados.